domingo, 5 de junho de 2011

Adenocarcinoma



Trata-se de uma neoplasia epitelial que se origina em tecidos glandulares. Ainda que não se tenha iniciado em uma glândula, o tumor recebe essa classificação desde que se diferencie em células com propriedades
excretórias. Tumores de glândulas endócrinas geralmente são referidos como  tumores neuroendócrinos, ao invés de adenocarcinomas.

 [Anatpat - Unicamp http://anatpat.unicamp.br/]

  [Imagem adaptada de Anatpat - Unicamp http://anatpat.unicamp.br/]
Destaque do adenocarcinoma de pulmão. Neoplasia com padrão glandular e células com bastante pleomorfismo, conforme indicado nos círculos. Observa-se basofilia e atipias nucleares, indicativo de padrão proliferativo desorganizado.

 [Ciências Morfológicas http://cienciasmorfologicas.blogspot.com/
Tecido pulmonar normal, com arquitetura preservada. Observam-se bem menos células e o padrão glandular não revalece.  a: Bronquíolo Terminal; b: Bronquíolo Respiratório; c: Ducto Alveolar; d: Saco alveolar; e: Alvéolo.

Carcinoma ductal de mama

O carcinoma ductal de mama apresenta um aspecto bastante infiltrativo. O aspecto macroscópico mostra área clara bastante enrijecida (seta) devido à reação desmosplástica produzida pela neoplasia, com crescimento de tecido fibroso.

Aspecto histológoco de mama normal.

Aspecto histológico do carcinoma ductal de mama. Células pleomórficas com aspecto glandular (seta preta); abundante produção de colágeno (seta vermelha) advinda da desmoplasia.

Aspecto infiltrativo do adenocarcinoma de mama. Calcificação distrófica destacada.



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário